A trabalheira de voar um caça da 2ª Guerra Mundial

Com toda a tecnologia que temos actualmente, por vezes olham-se para as “máquinas” do passado como sendo autênticas peças de museu, rudimentares. Mas desenganem-se se pensam que isto se traduz em simplicidade de operação, como se pode ver pelo que implica pilotar um P-51 Mustang.

P-51Mustang_01

O P-51 Mustang é um dos aviões de combate mais icónicos de todos os tempos, estando na lista de aviões como o Spitfire britânico, o Messerschmitt Bf 109 alemão, ou o Mitsubishi A6M Zero japonês.

Olhando para a tecnologia disponível há 80 anos atrás, poderíamos pensar que estas máquinas voadoras eram pouco mais do que “motores com asas”, e que por isso não seriam complicadas de controlar – mas a verdade é que se trata precisamente do oposto. Sem a assistência de todas as ajudas electrónicas que hoje consideramos normais, voar um destes aviões é uma experiência verdadeiramente única – (e obviamente que não será para todos.)

De certa forma, é precisamente o que se passa com algum condutor que se aventure a tentar conduzir um automóvel do início da era automóvel… sendo que provavelmente nem seria capaz de fazer arrancar o seu motor. 🙂

 

[youtube https://youtu.be/4z1Z-WEZZGM]

 

[youtube https://youtu.be/J1F_UJaaP1A]

 

[youtube https://youtu.be/eOXxUApaaWo]

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *