Cidade de Lisboa assina pacto de mobilidade sustentável

A Câmara Municipal de Lisboa assinou, na semana passada, o primeiro Pacto de Mobilidade Empresarial (CMP), iniciativa conjunta com o World Business Council for Sustainable Development (WBCSD), BCSD Portugal e de 56 empresas líderes que assumiram o compromisso de tornar a mobilidade mais sustentável na cidade.

O CMP irá catalisar a liderança empresarial e visa acelerar a transformação da mobilidade urbana para soluções sustentáveis. As entidades signatárias vão adoptar um conjunto de medidas que contribuirão para que a cidade de Lisboa tenha um sistema de mobilidade mais seguro, acessível, ecológico e eficiente, conforme os princípios fundamentais da colaboração, do compromisso, da transparência e da segurança.

Este Pacto tem como objectivo contribuir para uma mobilidade mais sustentável em Lisboa, através da promoção de uma oferta e de uma procura de soluções multimodais, em primeiro lugar através da criação de condições para adopção de novos comportamentos e de novas soluções pelos colaboradores e, ainda, através do alargamento destas medidas a fornecedores e clientes.

A iniciativa surge como resposta ao desafio do presidente da CML, Fernando Medina, para quem “a descarbonização se apresenta como o maior desafio da nossa geração“. O autarca sublinha que “necessitamos de reduzir as nossas emissões e tornar todos os tipos de transporte mais sustentáveis. Todos os dias contam e todas as acções são importantes“.

Segundo Miguel Gaspar, Vereador da Mobilidade da Câmara Municipal de Lisboa, “a cidade irá fornecer as condições necessárias para garantir que os compromissos serão mensurados e que o diálogo continue“.

São signatárias do Pacto as seguintes entidades: Accenture; Acciona; Adene; ANA – Aeroportos de Portugal; Arcadis; Banco Atlântico Europa; Barraqueiro Transportes; BNP Paribas; Brisa; Caetano Auto; Carris; Circ; Crédito Agrícola; CTT; DECO; Deloitte; DHL Express Portugal; DPD; Eaton; eCooltra; EDF Renewables Portugal; EDP; Efacec; El Corte Inglês; EMEL; Epal; EY; Fujitsu; Fundação Salesianos; Galp; Grupo Ageas Portugal; Hertz; IKEA Portugal; Imprensa Nacional Casa da Moeda; Infraestruturas de Portugal; Kia Portugal; Logistema; Lojas Francas de Portugal, S.A.; Loyal Advisory; Mercedes-Benz Portugal; Metropolitano de Lisboa E.P.E.; Millennium bcp; Nissan Portugal; PwC; Repsol; Rodoviária de Lisboa; Santander; Schneider Electric; SGS Portugal; Siemens; Siva; Tecnoplano; TIS; TramGrid; Uber e Vodafone.
A este grupo poderão juntar-se outras entidades no futuro.

2 Comentários

  1. Câmara Municipal de Lisboa assinou, na semana passada, o primeiro Pacto de Mobilidade Empresarial, iniciativa conjunta com o World Business Council for Sustainable Development e 56 empresas líderes que assumiram o compromisso de tornar a mobilidade mais sustentável na cidade, uma das empresas é a Schneider.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *