A reciclagem dos veículos é uma prioridade ambiental para a Peugeot

A reciclagem de veículos apresenta-se como um enorme desafio para a indústria automóvel ao longo dos próximos anos. O Groupe PSA e a Peugeot estão empenhados em optimizar a utilização dos recursos naturais, integrando materiais verdes ou reciclados nos seus veículos, produzidos para manter os sectores da reciclagem e, em simultâneo, reduzir a sua pegada ambiental.

Em 2060 a Terra terá cerca de 10.000 milhões de habitantes. A OCDE estima que a utilização de matérias-primas irá duplicar para fazer face às necessidades desse crescimento demográfico, duplicando a pressão sobre o meio ambiente.

O automóvel pode reduzir o seu impacto no meio ambiente, através da utilização mais eficiente dos recursos naturais e da reciclagem de veículos em fim de vida (reciclagem de veículos enviados para abate). Um desafio em que estão a trabalhar vários construtores.

Para exercer a sua responsabilidade social, reduzir o risco de dependência e controlar os custos de produção, os construtores automóveis devem, assim, encontrar soluções para:

  • Recorrer a materiais obtidos a partir de uma cadeia de abastecimento responsável (respeito dos direitos humanos e ambientais, ética);
  • Tratamento responsável de produtos em fim de vida útil (especialmente os veículos eléctricos e as suas baterias);
  • Utilizar materiais compatíveis com uma economia circular, concentrando-se em duas áreas-chave: a necessidade de recuperar e reciclar veículos em fim de vida e reciclar materiais cada vez mais escassos;
  • Utilizar menores recursos naturais que estão a tornar-se cada vez mais caros, à medida que se tornam mais escassos;
  • Eliminar as substâncias perigosas indicadas pela legislação em vigor.

Nos veículos mais recentes da marca francesa, a Peugeot teve muito em conta o seu impacto no ambiente. Logo a partir do momento em que um veículo comece a ser projectado, o mesmo deverá incorporar materiais reciclados que sejam avaliados em função da sua fabricação e recuperação no seu final de vida útil.

Os veículos Peugeot mais recentes ilustram os resultados obtidos com a inclusão de materiais reciclados ou provenientes de recursos naturais.

Os programas partilhados entre o novo Peugeot 208 e o novo Peugeot 2008 levaram à utilização recorrente de materiais reciclados e naturais nos mesmos. Os novos Peugeot 208 e 2008 têm, respectivamente, uma média de 30% e 31% de materiais reciclados e de origem natural no seu conjunto. Cerca de 40 peças incorporam materiais reciclados e naturais. Entre esses elementos destacam-se:

  • A utilização de fibras naturais de cânhamo para reforços do painel de bordo;
  • A utilização de polipropilenos reciclados nos deflectores (ar sob o piso, sob o depósito de combustível, airbag, asas dianteiras/traseiras) e nos para-choques dianteiros/traseiros;
  • A utilização de poliamida reciclada nos embelezadores e no colector de admissão, bem como no grupo moto-ventilador.

Quanto ao Peugeot 508, conta com uma média de 31% de materiais reciclados e de origem natural. Cerca de 80 peças em polímero incorporam materiais reciclados e de origem natural. Entre as aplicações destacam-se:

  • A utilização de fibras naturais de cânhamo nas condutas de descongelação do para-brisas;
  • A utilização de polipropileno reciclado nos deflectores e também no dispositivo de arrumação do pneu sobressalente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *