Europeus dispostos a deixar de viajar de avião para combater alterações climáticas

Um novo estudo pan-europeu que visou analisar as atitudes do público face às alterações climáticas revelou os sacrifícios pessoais que as pessoas estão dispostas a fazer na luta contra o aquecimento global.

O “Climate Countdown”, o mais recente dos relatórios trimestrais “Go Electric” da Ford, revela que uma esmagadora maioria dos europeus – uma média de 90% em cada um dos 8 países inquiridos – sente ter algum nível de responsabilidade pessoal na luta contra as alterações climáticas.

Questionados sobre as principais questões que a Europa enfrenta actualmente – abrangendo tópicos importantes como o racismo sistémico, a provisão de saúde mental e o reequilíbrio da economia – a existência de um plano global para enfrentar as alterações climáticas surge em segundo lugar, sendo apenas superado pela recuperação da COVID-19 como a principal prioridade. E embora haja um acordo para o facto de que ter um plano para as alterações climáticas é essencial (29%), esta mesma percentagem de pessoas afirmou ser necessário adoptar imediatamente medidas mais rigorosas para travar as alterações climáticas.

Divulgada antes da COP26, a cimeira crucial sobre o clima de Glasgow, a investigação da Ford sugere um surpreendente nível de vontade do público europeu em renunciar a muitos dos aspectos da vida moderna.

Entre os aspectos-chave que os europeus estariam dispostos a sacrificar, destacaram-se a não utilização de plásticos (45%), a redução do consumo de energia (45%) e a compra de bens produzidos localmente (35%). No entanto, há também uma proporção substancial que afirmou estar disposta a limitar a compra de roupa nova (34%) e a mesma percentagem de pessoas disse que estaria disposta a utilizar menos o seu automóvel (34%), enquanto 25% respondeu que estaria disposta a desistir de viajar para o estrangeiro de avião. Apenas uma muito reduzida minoria, 4%, disse que não estaria disposta a fazer qualquer sacrifício.

Houve também uma indicação clara de que os consumidores esperam que as empresas demonstrem uma maior preocupação com o ambiente: 87% disseram ser importante que se compre produtos de empresas que tenham uma contribuição positiva ou neutra em termos de carbono, com 56% a dizer que esta é uma consideração muito importante (40%) ou a mais importante (16%).

No que diz respeito às atitudes europeias em relação aos veículos eléctricos (VE), a investigação verificou que existe um reconhecimento crescente entre o público de que os VE são o futuro (37%), mas também sugere que ainda existem barreiras legítimas à sua adopção. As preocupações com o carregamento e a ansiedade da autonomia continuam a estar entre as questões mais significativas salientadas pelos consumidores, com 39% a dizer que têm preocupações sobre onde poderiam carregar o seu veículo, 24% a revelar que a infraestrutura actual não é a apropriada e 30% a dizer que os VE os atrasariam nas viagens longas.

O relatório “Go Electric: Climate Countdown” completo pode ser consultado aqui. O primeiro relatório Go Electric da Ford, intitulado The Road to 2030 and the UK’s all-electric future, também pode ser consultado aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *