Toyota bZ4X eléctrico chega com volante by-wire

A Toyota apresentou finalmente o seu primeiro carro 100% eléctrico – o bZ4X – que também estreia um sistema de volante “by-wire” sem ligação mecânica às rodas.

Depois de ter sido pioneira no desenvolvimento e promoção de híbridos, a Toyota teve um percurso bastante estranho no que dizia respeito aos carros 100% eléctricos, tendo optado por apostar fortemente nos carros a hidrogénio. Uma opção que permitiu que outros fabricantes, como a Tesla e Nissan, e mais recentemente também a VW, ocupassem esse segmento sem que existisse qualquer alternativa da Toyota – até agora.

O bZ4X é um SUV 100% eléctrico, que chega em versões de 2 e 4 rodas motrizes (motor de 150 kW na primeira, dois motores de 80 kW na segunda), com bateria de 71.4 kWh com carregamento rápido de 150 kW, e autonomia de 500 km / 460 km dependendo da versão. Ao contrário da Tesla, a Toyota propõe também um tejadilho solar opcional, que diz ser capaz de gerar electricidade para percorrer 1.800 km por ano (quase 5 km por dia).

No interior, também se tem a opção de um volante com formato rectangular – como o polémico volante (não opcional) da Tesla – mas que aqui chega com aquilo que se esperava que a Tesla lançasse: um sistema drive-by-wire. Isto é, o volante não tem nenhum sistema mecânico de ligação às rodas, transmitindo apenas informações electrónicas para motores eléctricos que se encarregam de virar as rodas. Com isso, a Toyota consegue uma série de vantagens que eliminam a maioria das críticas apontadas à Tesla:

  • O volante precisa apenas de uma gama de 150º para ser virado, evitando ter que dar “voltas completas” (pouco práticas em volantes deste formato)
  • Evita transmissão de vibrações desnecessárias da estrada para o condutor
  • Pode ter comportamento diferenciado em função do modo de condução escolhido – com diferentes perfis de viragem

O bZ4X será comercializado já no próximo ano (2022), roubando à Tesla a oportunidade de ter sido a primeira a implementar um sistema drive-by-wire.

Publicado originalmente no AadM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *