Dístico do seguro deixa de ser obrigatório no pára-brisas

Muito em breve, os portugueses vão poder circular sem papéis afixados nos vidros dos seus automóveis.

Depois do adeus ao dístico da Inspecção Periódica Obrigatória chega agora a vez dos portugueses se livrarem do papel que restava: o dístico do seguro.

Foi aprovada na passada sexta-feira (12 de Maio), uma proposta da IL que acaba com a obrigatoriedade de afixar no vidro do carro o dístico do seguro automóvel, bem como com as coimas associadas, uma vez que deixará de constituir infracção.

Na verdade, era algo que já não fazia qualquer sentido. Especialmente a partir do momento em que o dístico do seguro deixou de ser verde, tornou-se ainda mais fácil para qualquer pessoa poder “falsificar” um dístico na impressora de casa; obrigando a que as autoridades usassem as suas próprias vias para assegurar se o seguro era válido. Como tal, se isso é algo que terá que ser sempre feito, não faz qualquer sentido obrigar os condutores a essa burocracia extra e ao ritual de troca de papel a cada ano.

No entanto, e à semelhança do que acontece com o papel da Inspecção, o facto de não se ter o dístico afixado não significa que não se tenha que andar com o papel do seguro na viatura.

Agora é aguardar pela publicação em Diário da República desta alteração à lei para, de uma vez por todas, podermos dizer adeus aos dísticos do seguro nos vidros dos automóveis.

Publicado originalmente no AadM

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *