MOBI.E e Porto de Lisboa avançam com instalação de postos de carregamento para pesados

A MOBI.E e a Administração do Porto de Lisboa (APL) assinaram um protocolo de cooperação, que visa desenvolver e implementar uma estrutura de carregamento de veículos eléctricos ligeiros e pesados nas instalações sob gestão da APL.

O acordo foi oficializado durante o evento “Parcerias para a Descarbonização do Porto de Lisboa”.

A constituição desta parceria para a MOBI.E é “uma nova forma de colaboração enquadrada na sua estratégia de contribuir para o desenvolvimento da mobilidade sustentável em Portugal”, apoiando, desta vez, o compromisso da APL com a “dinamização de soluções inovadoras e sustentáveis” em todas as dimensões da sua actividade, tendo definido “metas de aumento progressivo da frota eléctrica e de carregadores em edifícios, mas também, a nível da actividade portuária, onde se pretende modernizar o transporte rodoviário de mercadorias, minimizando a combustão e a sua pegada carbónica”.

Este evento ficou marcado pelo arranque da discussão sobre o desenvolvimento de soluções de carregamento para veículos pesados de mercadorias, onde, para além da Yilport-Liscont ter apresentado a sua estratégia para se tornar um terminal neutro em termos de emissões e o projecto piloto em conjunto com a Paço Rápido e a Volvo para passar a recorrer a veículos pesados eléctricos na movimentação de mercadorias dentro do terminal, foi promovido um painel que contou com a moderação de Tiago Farias, do Instituto Superior Técnico, e a presença de representantes da MOBI.E, da E-REDES, da Associação Portuguesa de Operadores e Comercializadores da Mobilidade Eléctrica (APOCME), da Volvo e da transportadora Paço Rápido da Yilport-Liscont (empresa de armazenamento e transporte que opera no Porto de Lisboa).

A MOBI.E compromete-se a prestar apoio à APL na concepção, desenvolvimento e implementação da estrutura que vier a ser definida, no âmbito deste projecto piloto.

Recorde-se que o estudo apresentado pela MOBI.E em Outubro passado prevê que, até 2050, seja necessária uma infraestrutura de carregamento em Portugal de cerca de 1.600 pontos para veículos pesados, num investimento estimado de € 126 milhões de euros.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *