Robots ao volante poupam pilotos de teste

Na maioria das vezes associaremos a função de piloto de testes a um profissão super divertida que dá aos pilotos a possibilidade de conduzir as mais recentes super-máquinas em desenvolvimento, passando a vida em circuitos a “derreter” pneus – enfim, uma profissão de sonho. Infelizmente a realidade é bem menos glamorosa, e por cada um desses pilotos que pode passar os dias a divertir-se, há muitos outros cujas funções de teste são bem menos desejáveis e que se fazem ressentir duramente.

Robot_Tester_1

As marcas têm que testar os seus veículos até ao limite, e isso implica testes de resistência com horas de condução em estradas esburacadas, subir e descer passeios, e todo o tipo de coisas que poderá ter alguma piada se for feita por alguns minutos… mas que se torna torturante se tiver que ser repetida durante horas.

Felizmente, temos tecnologia que adora tarefas repetitivas, e por isso mesmo a Ford desenvolveu sistemas de condução robóticos que permitem que este tipo de testes possa ser feito sem martirizar os condutores humanos.

Robot_Tester_2

As marcas têm que testar os seus veículos até ao limite, e isso implica testes de resistência com horas de condução em estradas esburacadas, subir e descer passeios, e todo o tipo de coisas que poderá ter alguma piada se for feita por alguns minutos… mas que se torna torturante se tiver que ser repetida durante horas.

Robot_Tester_3

Felizmente, temos tecnologia que adora tarefas repetitivas, e por isso mesmo a Ford desenvolveu sistemas de condução robóticos que permitem que este tipo de testes possa ser feito sem martirizar os condutores humanos.

 

[youtube http://youtu.be/0LrJr02ek_M]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *