Opel Ampera-e terá autonomia superior a 400 quilómetros

O novo Opel Ampera-e, que será apresentado ao público já no início de Outubro no Salão de Paris, apresentará a maior autonomia entre os veículos eléctricos do seu segmento, conseguindo superar a marca dos 400 quilómetros.

De acordo com o ciclo NEDC (New European Driving Cycle) – a norma actualmente em vigor para estabelecer comparações entre diferentes veículos – o Ampera-e consegue superar a fasquia dos 400 quilómetros de autonomia, um resultado que torna este novo modelo compacto da marca alemã no automóvel eléctrico com maior autonomia neste segmento de mercado, de forma destacada. Na comparação com os concorrentes directos verifica-se que o BMW i3, mesmo equipado com o maior conjunto de baterias (com 33 kWh de capacidade), cobre apenas 300 km no ciclo NEDC, enquanto o Nissan Leaf consegue 250 km, o Renault Zoe 240 km e o VW e-Golf 190 km.

Naturalmente, a autonomia máxima na utilização do dia-a-dia deverá ser inferior ao valor apurado no ciclo NEDC, devido a factores tão diversos como as características da estrada, as condições meteorológicas, tipo de condução ou peso adicional transportado. Contudo, a Opel garante que o Ampera-e conseguirá cumprir distâncias de mais de 300 km sem necessidade de recarregar, mesmo num “perfil médio de utilização despreocupada”.

opelamperae_range

O Opel Ampera-e garante “performances” em tudo semelhantes a alguns automóveis desportivos, com um binário máximo de 360 Nm, aceleração de zero a 50 km/h em apenas 3,2 segundos e recuperação de 80 a 120 km/h – que é especialmente importante em ultrapassagens – em 4,5 segundos (valores preliminares). A velocidade máxima está limitada electronicamente a 150 km/h, em benefício da autonomia geral. O débito de potência do grupo motopropulsor equivale a 150 kW, ou 204 cv.

O novo veículo eléctrico da Opel possui um sistema de recuperação de energia que permite recarregar as baterias em andamento, bastando ao condutor aliviar a pressão no acelerador quando conduz no modo normal “Drive”. Nestas alturas, o sistema regenera a energia que provém do motor eléctrico, o qual é capaz de funcionar igualmente como gerador. O efeito de travão do motor aumenta quando é seleccionado o modo “Low”, incrementando também a capacidade de recuperação de energia. Para maximizar a regeneração o condutor pode utilizar uma patilha colocada atrás do volante que liga o modo “Regen on Demand” enquanto estiver apertada. O efeito de travão-motor deste modo é tão forte que em muitas situações normais de tráfego o pedal de travão não necessitará de ser carregado para imobilizar o Ampera-e. Vários modelos de simulação demonstram que a condução adequada a este tipo de veículos e de tecnologia pode aumentar a autonomia em cinco por cento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *