Nissan e Governo português promovem primeira fase de condução autónoma

A Nissan Portugal e o Governo português, através da Secretaria-Geral do Ministério do Ambiente e Transição Energética (MATE), iniciam um programa conjunto de experimentação da primeira fase de condução autónoma Nissan ProPILOT. O programa prevê a cedência ao Governo de três Nissan LEAF 100% eléctricos dotados desta tecnologia que, numa primeira fase, serão utilizados pelo MATE.

António Melica, Director-Geral da Nissan Portugal sublinha que, “para que exista uma mudança na sociedade, as pessoas precisam de compreender que essa mudança é boa para o seu futuro. Depois, os consumidores precisam de compreender o que a tecnologia lhes pode oferecer. Foi esse caminho que a Nissan percorreu ao tornar-se pioneira dos automóveis totalmente elétricos com o lançamento a nível global, em 2010, do Nissan LEAF e que oito anos depois continua a liderar esta mudança para as zero emissões e a ser seguido por cada vez mais concorrentes».

Segundo João Pedro Matos Fernandes, Ministro do Ambiente e Transição Energética, “o compromisso de Portugal depois do Acordo de Paris sobre Alterações Climáticas é reduzir em 24% as emissões do sector dos transportes até 2030. Portugal assumiu o objectivo de atingir a neutralidade carbónica até 2050, e tem tido um percurso de descarbonização da economia muito significativo, registando-se uma redução de 20% das emissões, desde 2005.

A Nissan está a adoptar uma abordagem faseada na apresentação de tecnologias de condução autónoma no mercado, numa abordagem educacional passo a passo que permite aos condutores experimentar a tecnologia, uma característica de cada vez, e perceber o valor acrescentado que esta oferece.

A primeira fase da tecnologia de condução autónoma da Nissan, conhecida como “ProPILOT”, disponibiliza aos condutores a opção de operar manualmente o automóvel ou de ceder o controlo aos sistemas de bordo, em certas situações. Quando activada, permite que os automóveis apoiem os condutores a conduzir, travar e acelerar automaticamente e com segurança numa única faixa, em autoestradas, ou em cidade, em situações de tráfego intenso.

Em 2019, a Nissan planeia ampliar o seu sistema PropILOT para o “controlo de múltiplas faixas”, que seja capaz de evitar riscos autonomamente e mudar de faixa durante a condução em autoestrada. Dois anos mais tarde, será acrescentada a capacidade de o veículo circular pela cidade e nos cruzamentos, sem a intervenção do condutor.

Assim que a condução autónoma atingir um certo nível de avanço tecnológico, terão de ser tomadas decisões em relação às leis e infraestruturas de condução para que, então, a mentalidade da sociedade possa mudar. A educação e aceitação são por isso chave à medida que as tecnologias continuam a evoluir.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *