Novo porta-aviões dos EUA não consegue evitar sanitas entupidas

Os mais recentes e poderosos porta-aviões Gerald R. Ford e George H. W. Bush da marinha dos EUA, com os seus reactores nucleares que lhes permitem operar durante 25 anos sem necessidade de reabastecimento, sofrem de um verdadeiro e dispendioso problema de merd@.

O sistema de canalização para as instalações sanitárias destas mega-embarcações não foi dimensionado correctamente para lidar com o volume dos marinheiros que as usam simultaneamente durante a entrada ao serviço nos turnos matinais. E o resultado é a necessidade frequente de desentupimento da canalização usando ácido – uma operação que tem custos de 400 mil dólares… de cada vez que for necessária!

Embora os custos finais ainda estejam a ser calculados, estima-se que este pequeno detalhe faça com que o custo de operação ao longo do seu tempo de vida útil aumente dos 77.3 mil milhões de dólares inicialmente previstos, para cerca de 123 mil milhões – a multiplicar por dois (custo para cada um dos porta-aviões).

… E isto sem contabilizar o potencial aumento de preço dos rolos de papel higiénico por conta do coronavirus. ;P

Publicado originalmente no AadM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *