Kia Ceed recebe tecnologia mild-hybrid 48 V e nova caixa de velocidades manual inteligente

A Kia introduziu o sistema motopropulsor semi-híbrido (MHEV) EcoDynamics+ 48 V diesel em toda a gama Ceed. Estas versões passam assim a estar disponíveis nos Ceed (hatchback de cinco portas), Ceed Sportswagon, ProCeed (shooting brake de cinco portas) e XCeed (crossover urbano).

A EcoDynamics+ vem tornar ainda mais eficientes os consumos do motor diesel de 1,6 l “Smartstream”, diminui as emissões de CO2 e reduz os custos de utilização. O novo grupo motopropulsor é disponibilizado com versões de baixa e alta potência, oferecendo 115 e 136 cv respectivamente (ProCeed disponível apenas com motor de 136 cv). A implementação desta nova tecnologia semi-híbrida na família Ceed permite uma diminuição das emissões de CO2 de cerca de 5 a 10 % (NEDC 2.0, ciclo combinado), consoante a carroçaria, caixa de velocidades, potência do motor e especificação do veículo.

O Ceed é também um dos primeiros modelos Kia na Europa a usufruir da nova caixa de velocidades manual inteligente (iMT), que equipa exclusivamente os modelos semi-híbridos EcoDynamics+. O sistema “clutch-by-wire” contribui para aumentar a economia de combustível e diminuir as emissões de CO 2 do sistema MHEV, mantendo o comando tradicional de uma caixa de velocidades manual convencional.

Em vez de recorrer a ligações mecânicas, a embraiagem da iMT funciona de forma exclusivamente electrónica e integra-se imperceptivelmente no grupo motopropulsor EcoDynamics+. Quando o veículo abranda para parar, esta caixa de velocidades conjuga-se com o gerador semi-híbrido (MHSG) para desligar o motor mais cedo do que o sistema de paragem e arranque Idle Stop & Go. No modo de condução “Eco” (predefinido do Ceed), permite também breves períodos de marcha por inércia com o motor “desligado” a velocidades inferiores a 125 km/h, “ligando” novamente o motor de forma imperceptível quando o condutor carrega nos pedais do acelerador ou da embraiagem. O sistema consegue também melhorar a economia de combustível geral do veículo e reduzir as suas emissões de CO2 em cerca de 3% em condições de utilização real.

A mudança seleccionada mantém-se engrenada mesmo com o motor desligado, e o motor liga-se na mesma mudança assim que o condutor prime ou o pedal dos travões ou o pedal do acelerador, graças à energia então fornecida pelo MHSG. No entanto, se o condutor carregar no pedal da embraiagem para engrenar outra mudança, ou se a velocidade do veículo for demasiado baixa para a mudança atual, o motor é reiniciado em ponto-morto (com a embraiagem aberta).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *