Água em vez de gasolina: Inovação Bosch reduz o consumo de combustível até 13%

Sabia que mesmo os avançados motores a gasolina desperdiçam perto de um quinto do combustível? Especialmente em altas rotações, alguma da gasolina é usada para arrefecer em vez de ser usada para a propulsão.

Bosch_agua

Com a sua nova injecção a água, a Bosch mostra que não tem de ser dessa forma. Particularmente numa aceleração rápida ou numa autoestrada, a injecção de água adicional torna possível reduzir o consumo de combustível até 13%. A poupança de combustível proporcionada por esta tecnologia da Bosch acontece especialmente em motores de três e quatro cilindros, precisamente aqueles que encontramos debaixo do capôt de todos os carros de tamanho médio.

Mas não é apenas na poupança de combustível que a inovação Bosch marca a diferença, podendo também dar mais potência aos carros: “A injecção a água pode dar uma potência extra a qualquer motor a turbo”, afirma Stefan Seiberth, presidente da divisão de Sistemas de Gasolina da Bosch. Ao termos ângulos de ignição mais cedo, o motor é operado de uma forma ainda mais eficiente. Desta forma, os engenheiros podem enviar energia adicional para o motor, mesmo em potentes carros desportivos.

A base desta inovadora tecnologia de motor é simples: um motor não deve sobreaquecer. Para evitar que isto aconteça, combustível adicional é injectado em praticamente todos os motores a gasolina que percorrem as estradas. Este combustível evapora, arrefecendo partes do bloco do motor. Com a injecção a água, os engenheiros exploraram este princípio físico. Antes da ignição do motor, uma fina mistura de água é injectada na conduta de admissão. A elevada temperatura de vaporização da água significa que proporciona um efectivo arrefecimento.

Esta é também a razão pela qual apenas um pouco de água é necessária: para cada centena de quilómetros percorrida, são necessários algumas centenas de mililitros de água. Como tal, o tanque de água compacta que fornece o sistema de injecção com água destilada apenas tem de ser reabastecido a poucos milhares de quilómetros no máximo. E se este tanque ficar vazio não há motivo para preocupações: o motor vai continuar a funcionar – mas sem a potência e redução de consumo proporcionada pela injecção a água.

Esta tecnologia já está em produção?
O BMW M4 GTS é o primeiro veículo equipado com este inovador sistema de injecção a água. No motor turbo de seis cilindros proporciona uma melhor performance e consumo mesmo com depósito cheio. A Bosch fornece partes da injecção a água para o BMW M4 GTS.

Qual o consumo de combustível no ciclo de condução?
No futuro teste de consumo (WLTC), a injecção a água torna possível poupar até 4% de combustível. Em condições de condução real, é possível ainda mais: aqui o consumo de combustível pode ser reduzido até 13% em acelerações rápidas ou conduzindo na autoestrada.

A injecção a água faz com que motor enferruge?
Não. Não fica água na câmara de combustão. A água evapora antes de a combustão acontecer no motor. Toda a água é expelida no ambiente juntamente com o escape.

Como é reabastecida a água?
A injecção a água requer apenas uma pequena quantidade de água. Em média apenas tem de ser reabastecido a cada 3.000 quilómetros. O tanque de água independente tem de ser cheio com água destilada.

A água do tanque pode congelar?
Quando o motor está parado, a água regressa ao tanque, onde pode congelar. Assim que o motor reinicia, a água regressa.

Existe algo como injecção de água directa?
A Bosch usa um sistema de injecção de portas uma vez que tem claras vantagens técnicas e um custo mais reduzido. Isto faz com que a injecção a água possa entrar em processos de produção em larga escala, bem como para muitos segmentos de veículos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *