Alemanha processa Tesla por publicidade enganosa do Autopilot

As promessas continuamente adiadas das capacidades de condução autónoma dos Tesla parecem ter esgotado a paciência da agência de protecção dos consumidores na Alemanha, que avança com um processo contra a marca por publicidade enganosa a propósito do Autopilot e das suas supostas capacidades de condução autónoma total.

Nos últimos anos Elon Musk tem prometido repetidamente que o modo de condução autónoma total “está a chegar” (a última indicação é a de que, agora, irá chegar até ao final do ano), sem que no entanto esse modo ainda tenha chegado aos clientes – mesmo aqueles que já pagaram por esta opção há anos.

Mesmo havendo ainda quase dois meses pela frente para o final do ano, na Alemanha avança um processo de publicidade enganosa contra a Tesla, que acusa a marca de estar a enganar deliberadamente os clientes, vendendo uma opção com funcionalidades que não estão a ser fornecidas (mas que estão continuamente sob ameaça de que o preço vai subir).

Até mesmo no site da Tesla Portugal também existe a promessa de que ainda este ano os clientes que pagarem os €6.500 euros pela dita “capacidades de condução autónoma total”, terão acesso ao reconhecimento de semáforos e sinais de stop, condução automática em estradas de cidade, e o Enhanced Summon que permite chamar o carro de forma completamente autónoma nos parques de estacionamento.

Vamos ver como este caso se vai desenrolar; sendo que no mínimo, poderá ajudar a acelerar a alteração da legislação para permitir que estes modos “semi-autónomos” sejam autorizados. Elon Musk queixa-se de que muitas vezes o impedimento é burocrático, como acontece no caso do Enhanced Summon, que já está disponível nos EUA mas não na Europa.

De qualquer forma, o que é certo é que – tecnicamente – a utilização da designação “capacidade de condução autónoma total” não é a mais acertada, pelo menos até que se tenha um Tesla que realmente possa ir do ponto de partida ao ponto de destino sem que o utilizador tenha que tocar nos pedais ou volante.

Publicado originalmente no AadM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *