ANSR lança campanha “Viajar sem pressa”

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a Guarda Nacional Republicana (GNR) e a Polícia de Segurança Pública (PSP) lançaram ontem a Campanha de Segurança Rodoviária “Viajar sem pressa”, inserida no Plano Nacional de Fiscalização de 2020.

A campanha, que decorrerá até ao dia 19 de Outubro, tem como objectivo alertar para os riscos da condução em excesso de velocidade, sendo esta uma das principais causas dos acidentes nas estradas, e integrará uma componente de sensibilização, levada a cabo pela ANSR, assim como operações de fiscalização, pela GNR e pela PSP.

As acções de sensibilização ocorrerão em simultâneo com operações de fiscalização nas seguintes localidades:

  • Dia 14 – EN 14 Arnoso Santa Maria, Braga;
  • Dia 15 – Av. Comunidade Europeia, Leiria;
  • Dia 16 – EN 119, Biscainho, Santarém;
  • Dia 19 – A1 Portagens de Alverca e Av. Infante D. Henrique – Sta. Apolónia, Lisboa.

A ANSR, a GNR e a PSP relembram que os limites de velocidade e as regras relativas à sua moderação existem para a protecção de todos, especialmente dos mais vulneráveis, pelo que o seu cumprimento é vital:

  • “A velocidade é a principal causa de um terço de todos acidentes mortais”;
  • “Quanto mais rápido conduzimos, menos tempo dispomos para imobilizar o veículo, quando algo de inesperado acontece”;
  • “Numa viagem de 10 km aumentar a velocidade de 45 para 50 km/hora apenas permite ganhar 1 minuto e 20 segundos, porém, uma reduzida diferença de velocidade pode fazer a diferença entre a vida e a morte”.

O Plano Nacional de Fiscalização, enquadrado no Plano Estratégico Nacional de Segurança Rodoviária – PENSE 2020, o qual tem como desígnio “Tornar a Segurança Rodoviária uma prioridade para todos os Portugueses”, prevê a realização de campanhas de sensibilização em simultâneo com operações de fiscalização, em locais onde ocorrem regularmente infrações que representam um risco acrescido para a ocorrência de acidentes.

A sinistralidade rodoviária não é uma fatalidade e as suas consequências mais graves podem ser evitadas através da adopção de velocidades adequadas e respeitando os limites legais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *