NHTSA iliba Tesla das acusação de aceleração súbita

A entidade rodoviária dos EUA já publicou a sua conclusão quanto à acusação de aceleração indesejada nos Tesla, dizendo que a culpa é dos condutores.

A NHTSA (National Highway Traffic Safety Administration) veio por um ponto final na análise de queixas de pessoas que diziam que os seus Tesla “aceleraram sozinhos” e provocaram acidentes, dizendo que em todos os casos analisados a culpa foi da actuação inadvertida do acelerador por parte dos condutores (pdf link).

A queixa de acelerações espontâneas têm sido frequente nos carros eléctricos, com visibilidade acrescida sempre que acontece com um Tesla, mas o caso tem sido sempre atribuído a falha dos condutores – sendo que o problema é que, enquanto num carro a combustão com caixa manual a manobra poderá fazer com que o motor “vá abaixo” ou, no caso de ter caixa automática, o atraso na resposta do motor dar o tempo suficiente para que o condutor se aperceba do erro e tire o pé do acelerador, num carro eléctrico a resposta instantânea faz com que o potencial para acidente seja bastante superior… mas sempre por culpa do condutor.

Aliás, os múltiplos sistemas de redundância e segurança implementados para evitar qualquer tipo de aceleração espontânea já tinham sido confirmados por hackers, dizendo que seria impossível um Tesla acelerar a não ser que o condutor estivesse a pisar o acelerador e a não carregar no travão. E este relatório da NHTSA vem dizer o mesmo.

Dito isto, talvez não fosse má ideia que os Tesla (e outros automóveis eléctricos) tivessem um pouco mais de inteligência e aplicassem uma aceleração mais suave no caso de detectarem potenciais obstáculos ou risco de colisão à sua frente, para tentarem evitar este tipo de situações.

Publicado originalmente no AadM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *