NASA reconhece que voltar à Lua em 2024 não é “realista”

O prometido regresso à Lua prometido por Trump para 2024 não passou de mais uma das suas vãs promessas, com o actual administrador da NASA a dizer que essa expectativa não é realista.

Desde o início que o prazo apresentado para a missão Artemis, de fazer chegar uma mulher astronauta à Lua em 2024, gerou bastantes dúvidas. Ainda mais quando se trata de um programa que estaria dependente do novo foguete SLS que tem sofrido atraso após atrasos, e que ainda nem se sabe quando é que irá voar pela primeira vez (uma das últimas previsões apontava para final deste ano – data bastante “próxima” para uma ida a Marte em 2024). Apesar disso, a nova administração surpreendeu (pela positiva) ao manifestar que iria continuar a apoior o programa iniciado na era Trump… só que os prazos não vão ser os indicados.

Steve Jurczyk, engenheiro da NASA que actualmente cumpre funções como administrador interino após a demissão de Jim Bridenstine com a mudança de presidente nos EUA, já veio anunciar publicamente que a data de regressar à Lua em 2024 não é realista; embora o diga de forma politicamente correcta, dizendo que tal se deveu à falta de dinheiro, não tendo sido reforçado o orçamento da NASA para que pudesse dedicar mais recursos a essa missão.

Portanto, pelo lado positivo, o novo presidente não optou pela solução mais fácil que seria a de cancelar todo o programa, o que significa que eventualmente teremos uma missão Artemis a colocar uma mulher na Lua; pelo lado negativo, e ao estilo do SLS, podemos contar com muitos atrasos e derrapagens no orçamento até que isso aconteça. Com um pouco de sorte, ainda temos a SpaceX a “roubar” o momento à NASA, levando um grupo de turistas até lá e a trazê-los de volta antes da agência espacial norte-americana.

Publicado originalmente no AadM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *