Tesla paga $10M por morte de adolescente

A Tesla foi condenada a pagar uma indemnização de 10 milhões de dólares pela morte de um adolescente num acidente, apesar de só ter sido considerada 1% culpada.

O caso remonta a um acidente mortal em 2018, em que dois adolescentes morreram e um terceiro ficou ferido, ao colidirem com uma parede num Model S a 186 km/h. O veículo incendiou-se de seguida, o que deu origem a um processo em que a Tesla foi acusada de usar baterias defeituosas e de não notificar os clientes dos perigos das mesmas, e também do sistema de limitação de velocidade.

Os pais de Barrett Riley, o condutor do veículo (e uma das vítimas mortais), tinham instalado um limitador de velocidade num centro de serviço da Tesla dois meses antes do acidente, mas o adolescente terá conseguido removê-lo noutro centro de serviço da Tesla sem o conhecimento dos pais. Isso acabou por fazer com que a Tesla lançasse um sistema que permite aos clientes limitar a velocidade do veículo directamente nas configurações do próprio carro, com mensagem que presta tributo ao jovem falecido.

O processo só recentemente chegou aos tribunais, e apesar do júri considerar que a Tesla teve uma responsabilidade muito reduzida no acidente – de apenas 1% – ainda assim isso resulta numa conta de 10,5 milhões de dólares que a Tesla terá que pagar aos pais do jovem.

Sendo os EUA o país dos processos, não posso deixar de notar a quantidade de advogados que vejam este caso como uma porta aberta para um dilúvio de processos em todos os futuros acidentes com Teslas, e onde mesmo uma ínfima percentagem de responsabilização da Tesla resultará em “milhões fáceis”. Isto sem sequer falar do caso de acidentes em modo Autopilot, em que seguramente se poderá imputar uma percentagem mais substancial de culpa à empresa de Elon Musk.

Publicado originalmente no AadM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *