A desilusão de ter um Ferrari

Já vimos como ter um carro de sonho por vezes pode acabar por ser um grande pesadelo, mas desta vez a história é outra. Desta vez é um relato de como alguém que concretizou o sonho de ter um Ferrari conta-nos como essa experiência se revelou uma grande desilusão.

Ferrari_01

Após um ano de utilização do seu Ferrari de sonho – ou mais concretamente um Ferrari que comprou em segunda mão – Doug DeMurro conta-nos que isto de ter um Ferrari não é para todos, e no seu caso pessoal, foi uma grande desilusão.

Ter um Ferrari não é ter um carro qualquer, e é inevitável que todos os olhares se voltem para ele (e vocês) quando se circula pela estrada e/ou se para em qualquer lado. Há também aqueles condutores que rapidamente pensam que a estrada se transformou em pista, e começam a acelerar para demonstrar a potência dos seus carros ou a sua superior habilidade de pilotagem; e há também todos aqueles que não se sentem inibidos em pedir para tirar fotografias (ou até sentarem-se ao volante).

Ferrari_02

Coisas a que até se poderá achar piada algumas vezes… mas que inevitavelmente começam a cansar, e a pesar na altura de decidir se realmente querem ir dar uma volta com ele; até ao ponto de começarem a decidir quase sempre que, mais vale levar “o outro carro” que é mais simples. Para além disso, o Ferrari acabar por ser um carro de passeio, em que saem de casa, dão uma volta e regressam a casa. Nem pensar em deixar ficar o carro estacionado em qualquer local onde não o possam manter sob vigilância ou que garanta que não chegaram ao carro para encontrar um grande risco feito propositadamente a atravessar o carro de ponta a ponta.

Um aspecto onde o Ferrari 360 se portou bem foi nas revisões: embora caras, não foram valores “absurdos” que por vezes se gostam de inventar e atirar para o ar.

Ferrari_03

Mesmo assim, dar mais de 86 mil dólares por um carro usado, mesmo sendo um Ferrari… não é definitivamente para todos – especialmente considerando-se todas as grandes máquinas que se poderiam comprar novas, por menos desse valor.

… Acho que depois de ter lido isto, vou adiar a encomenda do meu Lamborghini Veneno Roadster, e dedicar-me a conduzir estas grandes máquinas nas consolas de jogos. Ao menos aí não há custos com revisões nem problemas com pinturas arranhadas ou carros destruídos. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *