Tesla chega a acordo em queixa do Autopilot “enganador” – quando há novo acidente contra carro de polícia parado na berma

A Tesla resolveu chegar a acordo num processo de diversos clientes que se queixam que a funcionalidade de Autopilot lhes foi vendida de forma enganadora e sem capacidade de cumprir com o prometido; numa altura em que temos novo acidente com um Tesla em autopilot a bater num carro parado na berma.

Neste processo, os condutores queixam-se que a Tesla estava deliberadamente a ser enganadora ao anunciar a funcionalidade Autopilot – que implicava o pagamento de 5 mil dólares adicionais – como sendo uma forma mais segura de circular nas auto-estradas; quando na realidade o sistema não cumpria com muitas das funções prometidas. A Tesla começou a lançar veículos com o hardware Autopilot 2.0 melhorado, mas cujas funcionalidades inicialmente ficavam aquém das que existiam nos veículos com o hardware anterior; coisas que foi progressivamente melhorando e corrigindo ao longo dos anos.

Seja como for, a Tesla optou por chegar a acordo neste caso em vez de deixar que chegasse a um juiz, e vai pagar um valor irrisório de $20 a $280 aos queixosos, e 5 milhões num fundo que também servirá para pagar as despesas do processo…

 

Nem de propósito, e depois de vários casos de acidentes contra viaturas paradas na berma que punham em causa a fiabilidade do Autopilot da Tesla, eis que temos mais um relato de um Model S que chocou contra um carro da polícia na Califórnia. Uma situação que tem sido frequente e com o qual o sistema da Tesla não consegue lidar devidamente. Aliás, no próprio manual, a Tesla avisa que o sistema não consegue detectar objectos ou veículos estacionários, especialmente se estiver a circular a velocidades superiores a 80Km/h, ou numa situação em que o carro que segue à frente se mude para outra via e revele um veículo parado.

No entanto, mesmo tendo isso no manual, não há como evitar que a imagem que a Tesla tenta passar do seu Autopilot seja bastante mais capaz do que é na realidade, e que os clientes esperarão que um veículo que seja capaz de circular “em segurança” fosse também capaz de ver obstáculos bem visíveis e se soubesse desviar, ou parar, para evitar uma colisão.

… O Elon Musk muito descarta a utilização dos LIDARs… mas o que é certo é que com eles seria bastante mais simples evitar estas situações. Quantos mais acidentes contra veículos parados irão ser necessários até a Tesla ser forçada a reconhecer que terá que fazer algo quanto a isso?

Publicado originalmente no AadM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *