Tesla Model 3 sem direito a apoio do Estado para veículos eléctricos

O novo limite máximo de 60 mil euros para a ajuda do Estado na compra de veículos eléctricos faz com que até o mais barato Tesla Model 3 em Portugal perca o direito ao “desconto” de 2.250 euros

O estado mudou as regras na atribuição das ajudas para a compra de veículos eléctricos, passando agora aplicar um tecto máximo de 60 mil euros para os automóveis. Com este limite, até o mais económico Model 3 disponível no nosso país deixa de poder contar com esta ajuda, já que tem um valor base de 60.200 euros, resultando num preço final efectivo de 61.180 euros (e isto sem considerar quaisquer extras, como o Autopilot melhorado).

Só quando a Tesla disponibilizar por cá o modelo com autonomia standard (que segundo as práticas da Tesla, quase garantidamente contará com a bateria total, mas limitada por software) é que poderemos ter um Tesla com direito a apoio do Estado. (E não que eu esteja a favor disso… acho que estar a dar ajudas até mesmo para um carro de 60 mil ou 50 mil euros é um exagero.)

A venda de automóveis eléctricos em Portugal aumentou 148% em 2018 face ao ano anterior, num total de 4.073 veículos. Destes, 1.170 tiveram direito ao apoio do Estado, o que superou os mil inicialmente previstos, e obrigando a ir buscar verbas que estavam destinadas ao apoio de motociclos e ciclomotores eléctricos, onde os pedidos de apoio ficaram abaixo do previsto. Ainda assim, ficaram de fora 322 pedidos de apoio, por não haver mais verbas.

O apoio aos carros eléctricos é de 2.250 euros por veículo, e para os motociclos e ciclomotores corresponde a 20% do valor de aquisição até um máximo de 400 euros. Este ano o apoio será também alargado à compra de bicicletas eléctricas, embora não se conheça ainda em que moldes (provavelmente, com a mesma fórmula e limite máximo que a dos motociclos e ciclomotores – a não ser que o governo ache que a bicicleta merece ainda mais incentivos, o que também seria bem recebido).

À medida que a opção pelos carros eléctricos for aumentando, é de imaginar que estes apoios se reduzam progressivamente. Pelo que, se estiverem a considerar a compra de um – e puderem – aproveitem enquanto dura.

Publicado originalmente no AadM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *