Maiores fabricantes de motos assinam acordo para criar baterias intermutáveis

No seguimento da assinatura de uma Carta de Intenções em 1 de Março, a HONDA , a KTM, o Grupo PIAGGIO e a YAMAHA, assinaram oficialmente um acordo para a criação do Consórcio de Baterias Intermutáveis para Motos (SBMC).

Empenhados na promoção do uso generalizado de veículos eléctricos ligeiros, tais como scooters, motociclos, triciclos e quadriciclos no sector dos transportes e com uma gestão mais sustentável do ciclo de vida das baterias no contexto das políticas climáticas internacionais, os membros fundadores do Consórcio acreditam que a existência e disponibilidade de um sistema intermutável de baterias desenvolvido em conjunto é a solução para o desenvolvimento da electromobilidade de baixa tensão.

O objectivo subjacente deste Consórcio é encontrar soluções para as preocupações que os clientes possam ter em relação ao futuro da electromobilidade, por exemplo, a autonomia, os tempos que demoram os carregamentos, as infraestruturas e os custos associados. Estes objectivos serão atingidos de acordo com quatro princípios orientadores básicos.

  1. Desenvolver especificações técnicas comuns destes sistemas intermutáveis
  2. Confirmar a utilização comum dos sistemas de baterias
  3. Definir e promover as especificações comuns do Consórcio, tornando-as o padrão a nível europeu e internacional, junto dos organismos do sector
  4. Expandir a utilização das especificações comuns do Consórcio a nível global

Trabalhando em estreita colaboração com as partes interessadas e com os organismos de normalização nacionais, europeus e internacionais, os membros fundadores do Consórcio irão definir as normas técnicas internacionais. Na realidade, a disponibilidade de estações de carregamento varia entre os países e os utilizadores finais só dispõem de informações limitadas. Portanto, com este consórcio, a HONDA, a PIAGGIO, a KTM e a YAMAHA pretendem envolver os tomadores de decisão no desenvolvimento e na implantação de infraestruturas de carregamento, promovendo assim o aumento de veículos eléctricos ligeiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *