As (muitas?) falhas do sistema Auto-Pilot da Tesla

O primeiro acidente com uma vítima mortal num Tesla que seguia com o modo de piloto automático veio colocar as capacidades do sistema no topo das notícias, e hoje temos um vídeo que mostra como este sistema ainda tem muito que evoluir para se tornar naquilo que se desejaria que ele fosse.

2016 Tesla Model S P90D. (Photo by Brian Brantley/Brian Brantley Media/Motor Trend Magazine, ©2015)

2016 Tesla Model S P90D. (Photo by Brian Brantley/Brian Brantley Media/Motor Trend Magazine, ©2015)

Embora se possa considerar o sistema de piloto automático da Tesla útil e impressionante, será talvez mais realista considerá-lo como um sistema de cruise-control mais evoluído e não propriamente como um sistema de condução autónoma – e isto tendo em conta que se trata de um sistema “beta” que a própria Tesla refere que necessita da atenção constante e permanente dos condutores.

É que na prática, o sistema tem ainda enormes dificuldades em lidar com situações do dia a dia, que vão desde as dificuldades em detectar marcações na estrada em mau estado (ou em amarelo), veículos que se aproximem de estradas perpendiculares; ou até separadores centrais.

Ou seja… se por acaso tiverem oportunidade de conduzir um, convém não confiarem demasiado nas capacidades deste Auto-Pilot… pelo menos, por enquanto.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *