Comissão Europeia acusa VW, BMW e Daimler nas emissões poluentes

O escândalo dieselgate está longe de estar terminado, e agora alastra-se formalmente aos restantes fabricantes automóveis germânicos, com a acusação por parte da Comissão Europeia de que a VW, BMW e Daimler conspiraram para atrasar a implementação de tecnologia que reduziria as emissões nos veículos a gasolina e diesel.

O silêncio da UE face ao escândalo do dieselgate deu finalmente lugar à acção, com acusações formais contra os três maiores fabricantes alemães: VW, BMW e Daimler (Mercedes). Em causa estão alegadas reuniões, feitas nos anos 90, em que os três fabricantes terão combinado entre si o adiamento da implementação de tecnologias que reduziriam as emissões (filtros de partículas, aditivos Adblue, etc.) mas que implicariam despesa adicional.

A ideia é que, desde que nenhum fabricante se antecipasse aos outros e apresentasse isso como “vantagem”, todos ficariam a ganhar por não haver diferenciação a nível das emissões.

Agora, os fabricantes arriscam-se a enfrentar multas de milhares de milhões de euros – sendo que a Daimler espera livrar-se das multas, por ter sido ela a denunciar o caso às entidades europeias. Vamos lá ver se desta vez vamos ter mesmo multas “a doer” e que obriguem estas (e todas as outras) empresas a mudarem de atitude. Porque de resto, não há qualquer valor que permita desfazer o mal que já foi feito. (Se bem que, adiantarem as datas para a proibição de venda de veículos a combustão seria um excelente passo – e mais que merecido face à descoberta destes abusos.)

Publicado originalmente no AadM

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.